Já o trabalhador, que sofre os efeitos do reajuste diário na gasolina e a defasagem nos salários, não despertou a sensibilidade do presidente.

Para complicar a situação, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou que estudará meios para evitar rotas alternativas e desvio das nove praças de pedágio.

O tucano pretende ajudar a concessionária a faturar ao dificultar o máximo que o motorista encontre rotas alternativas ao pagamento de pedágio.